Contábil

Administração financeira: saiba o que é e conheça alguns indicadores

Administração Financeira
Escrito por CEFIS

Existem vários indicadores que podem auxiliar na Gestão Empresarial e na mensuração das atividades que ocorrem em uma empresa. Neste post, você irá entender o papel da Administração Financeira e desses indicadores em um negócio, descobrindo como monitorar as finanças e visualizar a saúde financeira do seu produto ou serviço. Confira!

O que é Administração Financeira

Ao contrário do que muita gente imagina, a administração financeira não se resume ao controle de fluxo de caixa.
Com a finalidade de realizar uma boa gestão de todos os recursos de uma empresa, a administração financeira é um conjunto de ações que envolvem controle, planejamento, uso e análise das  movimentações financeiras.

Todo esse processo contribui para determinar se a empresa possui uma vida financeira saudável ou não.

Existe um conjunto de práticas para pra garantir uma administração financeira eficiente. Uma delas é a utilização de indicadores financeiros (ou KPIs financeiros), para medir e acompanhar o progresso das finanças da empresa.
Continue a leitura para conhecer alguns e entender de quais formas eles podem contribuir!

Indicadores: para que(m) servem e quais são

Os gestores e CEOs de empresas precisam lidar com dados diariamente. É importante saber interpretá-los, a fim de transformá-los em informações relevantes para tomada de decisão.

Nesse sentido, os indicadores são essenciais para o sucesso a longo prazo da empresa, pois servem para acompanhar e manter um controle sobre o desempenho financeiro de organização. Eles também proporcionam informações que permitem a realização de mudanças necessárias, evitando potenciais prejuízos.

Neste contexto, alguns indicadores podem auxiliar com a parte de administração financeira de um negócio. São eles: índices de liquidez, atividade, endividamento e rentabilidade. Abaixo, confira do que se trata cada um:

Índices de Liquidez

Compostos por razões entre determinadas variáveis contábeis, os índices de liquidez medem o grau de solvência de uma empresa. Ou seja, a sua capacidade de pagar suas dívidas.

Índices de Liquidez

Índices de Liquidez

Capital Circulante Líquido: segundo o autor Assaf Neto, durante a análise deste tipo de capital, será possível entender como os recursos de longo prazo de uma empresa estão financiando os ativos de curto prazo.

Para calculá-lo, é preciso subtrair o ativo circulante (AC) pelo passivo circulante (PC), mas também é possível calcular o CCL de outro modo: somando o patrimônio líquido (PL) com o passivo exigível a longo prazo e depois subtraindo o valor obtido pela soma do ativo permanente (AP) com o ativo realizável a longo prazo (RLP).

Liquidez Corrente: Gitman defende que o índice de liquidez corrente mensura a “capacidade da empresa de saldar suas obrigações de curto prazo”. Para calculá-lo, é preciso dividir o ativo circulante pelo passivo circulante

Liquidez Seca: a fórmula para o cálculo deste índice é similar à da liquidez corrente. No entanto, os estoques devem ser excluídos do ativo circulante, para então dividir o valor obtido pelo passivo circulante.

Índices de Atividade

Com o objetivo de mensurar as várias etapas do ciclo de uma empresa, os índices de atividade abrangem desde os estoques até o prazo dado aos clientes após as vendas das mercadorias. Conheça alguns:

Giro dos estoques: para calcular este giro é preciso dividir o custo dos produtos (ou mercadoria) vendidos pelo estoque. Ao fazer isto, será possível mensurar a liquidez do estoque de determinada empresa.

Período médio de cobrança (ou Prazo Médio de Recebimento (PMR)): ao calculá-lo, será possível saber qual é o tempo médio para o recebimento das vendas a prazo. Para chegar ao valor do prazo médio de recebimento, é preciso dividir as contas a receber pelas vendas anuais divididas por 360.

Período médio de pagamento: este indicador representa o prazo estimado que uma empresa leva para pagar suas compras anuais a prazo. É calculado da seguinte maneira: contas a pagar sobre as compras a pagar divididas por 360.

Giro do ativo total: Gitman destaca que, quanto maior o giro do ativo de uma empresa, melhor será. Segundo ele, para calculá-lo, é preciso dividir as vendas (receita bruta) pelo ativo total.

Índices de Endividamento

Permitem mensurar a dimensão da dívida total de uma empresa em comparação ao seu ativo. Alguns índices são:

Participação de terceiros (ou índice de endividamento geral): este indicador mostra qual é a porcentagem de recursos que são financiados por terceiros em uma empresa. Segundo Gitman, para calculá-lo é preciso dividir o passivo exigível total pelo ativo total. Um outro modo de calcular é o seguinte: é preciso diminuir o patrimônio líquido total do ativo total e depois, dividir tudo pelo ativo total.

Cobertura de juros: para calculá-lo, é preciso dividir o Lucro antes de Juros e Imposto de Renda (LAJIR) pelos juros.

Índices de Rentabilidade

Servem para indicar se o negócio está gerando lucro.  Esses índices podem auxiliar a elaborar planos e metas, e também acompanhar os resultados alcançados com o investimento.

Margem Bruta:
para calculá-la, é preciso diminuir a receita de vendas pelo custo dos produtos vendidos e depois dividir o valor obtido pela receita de vendas. Uma margem alta é boa para empresa, pois significa que o custo dos produtos foi baixo.

Margem Operacional: este índice é importante porque demonstra a rentabilidade de uma empresa. Para obtê-lo, divide-se o resultado operacional pela receita de vendas.

Margem Líquida: para calculá-la, é preciso dividir o lucro líquido pela receita líquida de vendas.

Retorno sobre o investimento: este índice é calculado pela divisão do lucro sobre investimento.

Retorno sobre o Patrimônio Líquido: para calculá-lo basta dividir o lucro disponível para acionistas ordinários, pelo patrimônio destes acionistas. Para interpretá-lo, é importante saber que, quanto mais alto é índice, melhor para empresa.

Dica #1:

Para estudar mais sobre estes temas, recomendamos os seguintes livros:

  • Estrutura e análise de balanços: um enfoque econômico-financeiro
  • Princípios de Administração Financeira

Dica #2:

Se você se interessa pela área de finanças ou contabilidade, a CEFIS pode lhe ajudar! Somos um serviço de assinatura de cursos focado na área empresarial. Ao se tornar assinante, você tem acesso ilimitado a todos os nossos cursos. Confira nosso acervo aqui: https://cefis.com.br/cursos

Gostou deste artigo? Então aproveite e compartilhe com os amigos nas redes sociais!

Gostou desse artigo?

Gostou desse artigo?

Receba os próximos por e-mail!

Prontinho ! Assinatura realizada com sucesso. Acabamos de enviar um email de confirmação para você.

Sobre o autor

CEFIS

A CEFIS é um serviço de atualização contábil.
De forma inovadora, a CEFIS tem levado conhecimento através da web para milhares de contabilistas. Toda semana elaboramos um novo curso atual e objetivo nas Áreas Contábil, Fiscal e Trabalhista. Os cursos são realizados pelos melhores profissionais do país e após a gravação ficam armazenados para você assistir quando e onde quiser. Saiba mais aqui: www.cefis.com.br

Deixar comentário

Gostou desse artigo?

Gostou desse artigo?

Receba os próximos por e-mail!

Prontinho ! Assinatura realizada com sucesso. Acabamos de enviar um email de confirmação para você.