Carreira Contábil

Evasão e Elisão: conheça as multas e Casos Famosos de Sonegação

evasao-elisao-sonegacao-fiscal-2018
Escrito por CEFIS

A evasão é o oposto da elisão fiscal – também conhecida como planejamento tributário. Este tipo de planejamento é essencial para que os empreendedores possam organizar suas finanças e obrigações de acordo com as leis e regulamentações vigentes. Além disto, possibilita que sejam pensadas algumas maneiras para diminuir a carga tributária das empresas.

Evasão x elisão fiscal

Enquanto a evasão (ou sonegação fiscal) é considerada um meio ilícito de reduzir as cargas tributárias, a elisão abrange formas lícitas de planejar esta tributação – o que pode ser feito tanto por pessoas físicas quanto jurídicas. No curso sobre planejamento tributário, é explicado sobre algumas das formas de elisão, confira um trecho:

Penalidades: Evasão fiscal

Agora que você já sabe as diferenças entre evasão e elisão, vale destacar quais são as multas e penalidades que podem ser aplicadas para quem sonega impostos – ou, em outras palavras, comete evasão fiscal:

  • Ao sonegar um tributo: pagar multas em cima da quantia sonegada (a multa é individual, para cada tributo);
  • Ter de se recluir de dois a cinco anos, três a oito anos ou ainda, de um a quatro anos, além de pagar multas;
  • Ficar em detenção de um a quatro anos ou ainda, de dois a cinco anos, além de pagar multa.

Como evitar uma autuação proveniente de Evasão?

O simples ato de omitir informações à Receita já pode gerar penalizações, sendo assim, para evitar uma autuação decorrente de sonegação fiscal, é primordial consultar a Lei Nº 8.137/1990, que aborda diversas infrações e crimes que não devem ser praticados contra a ordem tributária. Alguns exemplos: omissão de declarações sobre rendas, falsificação de notas fiscais, ato de negar uma nota fiscal, etc.

Essa lei traz, de forma explícita, algumas das atitudes que não devem ser feitas, em nenhuma hipótese, no âmbito tributário. Ainda assim, porém (e infelizmente), certas pessoas permanecem praticando a sonegação fiscal, o que não só é uma má prática, como também é crime.

No tópico a seguir, você irá conferir alguns casos famosos de sonegação fiscal (evasão), entendendo qual foi a infração cometida e a penalização aplicada.

Casos famosos de Sonegação Fiscal

Existem diversos casos de sonegação fiscal efetuados por empresas, jogadores de futebol e claro, pessoas físicas comuns. Entre as situações mais frequentes de evasão, destaca-se a omissão nas declarações sobre Imposto de Renda da Pessoa Física e Jurídica (IRPF e IRPJ), e a omissão de informações referentes ao tributo da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Abaixo, serão apresentadas outras situações que resultaram em riscos fiscais e autuações:

1 – Itaú

evasao-fiscal-elisao-fiscal-2018

Em 2008 houve uma fusão entre o Itaú e Unibanco. Cinco anos depois, a Receita acreditou que havia ocorrido uma sonegação de impostos (infração), estipulando uma multa (penalização) de aproximadamente R$25 bilhões para ele. O banco, no entanto, entrou com recurso e acabou provando, durante o processo, que essa quantia não fazia sentido. 

Vale destacar que a fusão do Itaú Unibanco não chegou ao fim e ainda rende manchetes. Desta vez, a pauta é uma autuação de cerca de R$2,7 bilhões, referente ao ganho de capital que o banco obteve com a formação da nova sociedade. Além desta, existem ao menos quatro autuações que ainda não foram encerradas.

2 – Neymar

MOSCOW, RUSSIA - JUNE 27:  Neymar Jr of Brazil looks on during national anthem prior to the 2018 FIFA World Cup Russia group E match between Serbia and Brazil at Spartak Stadium on June 27, 2018 in Moscow, Russia.  (Photo by Buda Mendes/Getty Images)

(Photo by Buda Mendes/Getty Images)

Há alguns anos, a Receita cogitou que o jogador de futebol Neymar estivesse sonegando impostos – o que resultou em uma multa de R$200 milhões para ele. O jogador entrou com recursos e conseguiu obter a vitória no caso em 2017. Ainda assim, no entanto, ele enfrenta outros processos em países estrangeiros.

Dicas

Dica 1: se você quer evitar autuações e riscos fiscais, confira o seguinte artigo: 5 dicas para se Prevenir das Autuações Fiscais.

Dica 2: se você busca um conhecimento aprofundado no tema, a CEFIS tem um curso gratuito sobre Planejamento Tributário.

Gostou desse artigo? Não deixe de comentar e compartilhar com os amigos nas redes sociais!

Gostou desse artigo?

Gostou desse artigo?

Receba os próximos por e-mail!

Prontinho ! Assinatura realizada com sucesso. Acabamos de enviar um email de confirmação para você.

Sobre o autor

CEFIS

A CEFIS é um serviço de atualização contábil.
De forma inovadora, a CEFIS tem levado conhecimento através da web para milhares de contabilistas. Toda semana elaboramos um novo curso atual e objetivo nas Áreas Contábil, Fiscal e Trabalhista. Os cursos são realizados pelos melhores profissionais do país e após a gravação ficam armazenados para você assistir quando e onde quiser. Saiba mais aqui: www.cefis.com.br

Deixar comentário

Gostou desse artigo?

Gostou desse artigo?

Receba os próximos por e-mail!

Prontinho ! Assinatura realizada com sucesso. Acabamos de enviar um email de confirmação para você.